7 Perguntas e respostas sobre a rinoplastia

O que a modelo e socialite norte-americana Kim Kardashian, as atrizes Ashley Tisdale e Megan Fox e as brasileiras Danielle Winitz, Fernanda Sousa e Anitta têm em comum? Pelo menos uma coisa: a mudança no visual causada por uma cirurgia no nariz, a rinoplastia, classificada por muitos profissionais como uma das intervenções plásticas mais complexas. Um dos motivos é que o nariz é parte central do rosto e completamente exposto.  Por isso, qualquer milímetro pode fazer a diferença estética.

E também há outro motivo: não se trata de uma cirurgia isolada, pois deve-se considerar a harmonia e a simetria geral da face do paciente. Tudo isso gera ansiedade no paciente sobre os resultados da cirurgia, por isso é preciso que o médico saiba lidar com as expectativas que envolvem todo o processo, desde a avaliação prévia com os aspectos gerais da saúde do paciente até o pós-operatório e a conscientização do que é possível ser feito por meio da cirurgia.

Paciente bem informado é o melhor caminho para um paciente satisfeito. Para isso, nada melhor do que uma conversa sincera com o médico, onde os desejos e as necessidades são expostos. Uma das situações difíceis de lidar é quando se busca o profissional com um modelo de nariz idealizado e considerado perfeito, mas nem sempre possível.

Atualmente, já se conta com o apoio da tecnologia para que o paciente tenha uma ideia de qual será o resultado, por meio de simulações em imagens 3D, fundamentais para o planejamento da cirurgia, definindo qual técnica será utilizada e as modificações a serem feitas. No pós-operatório, o acompanhamento do profissional também é imprescindível.

A jornalista Tainá Farfan resolveu fazer uma rinoplastia depois de quebrar o nariz em um acidente doméstico. “Como ficou muito torto e eu já tinha problema com o septo, acabei decidindo fazer as duas cirurgias de uma vez. Não foi fácil, porque sempre tive medo de mexer no rosto. Afinal, qualquer erro poderia mudar minha vida e minha autoestima, né?”, conta a jornalista.  Antes de decidir, ela pesquisou em duas clínicas indicadas e pensou bastante. A expectativa era de que o nariz voltasse a ficar o mais próximo possível do que era. Ela conta que, depois da cirurgia, passou um tempo assustada, por conta do inchaço do nariz, mas depois que o tempo foi passando amou o resultado. “Não ficou idêntico a como era antes de quebrar, mas fiquei bem satisfeita e hoje acho até mais bonito que antes”, completa Tainá.

Para ajudar outras pessoas que pretendem fazer uma rinoplastia, preparamos algumas perguntas e respostas para se chegar ao resultado esperado e possível:

  1. Que tipo de correção é possível fazer?

A rinoplastia pode reduzir o tamanho, deixar o dorso fino, liso e sem saliências, estreitar as narinas, corrigir assimetrias, levantar ou afinar a ponta, além de tratar defeitos funcionais, como o desvio de septo.

  1. Todo mundo pode fazer a rinoplastia?

Menores de 16 anos e pessoas com problemas graves de saúde devem evitar a cirurgia; outras pessoas fora dessas condições, teoricamente, estão aptas. Mas é cada vez mais comum nos consultórios queixas que não condizem com a realidade, como pessoas com problemas emocionais, como depressão ou preocupação excessiva com a própria imagem e que veem defeitos que, para os médicos, não são suficientes para uma indicação cirúrgica. Um profissional atento irá perceber isso e pode, até, recomendar um acompanhamento psicológico antes da decisão final.

  1. Tenho medo de não gostar do resultado. Como prever?

É possível ter uma noção de como será o “novo” nariz por meio de uma simulação computadorizada. Mas, mesmo assim, é bom saber que o resultado final pode não ficar idêntico ao desenho virtual. O recurso apenas ajuda a deixar a expectativa do paciente mais concreta e real.

  1. Como é a cirurgia?

O procedimento é relativamente rápido, de uma a duas horas, em média, apenas com anestesia local e remédio para dormir. Na maioria das vezes, o paciente pode ir para a casa no mesmo dia. A rinoplastia não deixa cicatriz aparente, pois fica escondida dentro do nariz ou no limite da narina.

  1. Quando é possível ver o resultado final?

Demora um ano, em média, devido ao lento processo de cicatrização. Grande parte do inchaço some nos primeiros 90 dias, e o restante leva de seis a 12 meses para desaparecer por completo. Já os hematomas duram até duas semanas.

  1. É uma cirurgia agressiva?

Quando o nariz só requer pequenas mudanças, a cirurgia é pouco invasiva e, na recuperação, há menos inchaço e manchas roxas. Mas existem casos em que é preciso quebrar o osso para fazer as alterações, como para afinar o dorso. Nessa situação, a operação torna-se mais complexa e o pós-operatório, mais delicado. De qualquer forma, a rinoplastia não é considerada um procedimento de alto risco.

  1. Quais são os cuidados pós-operatórios?

Após a cirurgia, é preciso repouso absoluto em casa por dois dias. Inchaço, manchas roxas e desconforto nasal são inevitáveis, mas não é comum sentir dor. Por duas semanas, a respiração fica mais difícil, e o nariz entope com facilidade, por isso, é recomendada limpeza nasal com solução fisiológica, além da aplicação de um remédio para desobstruir as narinas. O uso de óculos fica proibido por dez dias e dormir de bruços, por um mês. Após duas semanas, algumas atividades físicas são liberadas, como caminhada, bicicleta e musculação, desde que não se faça movimentos bruscos com a cabeça. Após um mês, as restrições praticamente desaparecem, mas ainda deve-se evitar o sol, com o uso do protetor solar e chapéu por cerca de um ano.

Sobre o Dr. Jessé Teixeira de Lima Júnior

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Fez Residência Médica em Otorrinolaringologia no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto. Doutor em Otorrinolaringologia pela Universidade de São Paulo. Suas áreas de atuação são Otorrinolaringologia adulto e pediátrica e Cirurgia Otorrinolaringológica Estética e Funcional. Médico Assistente do Hospital de Base do Distrito Federal.

Sobre a Otorrino Center

A Clínica Otorrino Center foi formada com o objetivo de fornecer ao paciente um atendimento personalizado e de qualidade. A Clínica vem aumentando sua área de atuação, por meio de profissionais qualificados, com o intuito de realizar uma medicina preventiva e resolutiva. Desde 2010, mais uma unidade foi inaugurada, a do Hospital Santa Helena, oferecendo pronto atendimento e suporte de emergência ao paciente, e em 2012 foi inaugurada a sede, mais moderna, ampla e confortável, no Ed. Jaime Leal, agregando novos exames e profissionais, com atendimento humanizado e personalizado.

Veja Também

Referência em Otorrinolaringologia


Menu