Uma inflamação das mucosas do nariz e que pode ter várias causas, assim é a doença conhecida como rinite e que se torna a cada dia mais comum. Ela pode ser causada por vários motivos, desde resfriados, contato com produtos químicos irritantes, medicamentos, alergia e por uma condição peculiar, que é a rinite vasomotora.

Os sintomas são parecidos em todos os tipos e o principal é o corrimento nasal. Conheça as características de cada tipo:

Medicamentosa – é muito frequente, pois as pessoas ainda têm o hábito de usar medicamentos no nariz sem orientação médica e sem saber os riscos que correm. E muitos medicamentos podem piorar ou causar a rinite.

Alérgica – muito comum nas grandes cidades, devido aos poluentes e à poeira doméstica. Outros causadores são locais úmidos, com mofo.  É semelhante à rinite medicamentosa. Os sintomas são a resposta do sistema imunológico a algum alérgeno.

Infecciosa – pode ser causada por vírus e ser aguda ou crônica.

Vasomotora – também conhecida como rinite não alérgica, apresenta os mesmos sintomas, embora tenha causadores diferentes. Acredita-se que a rinite vasomotora seja causada por vasos sanguíneos excessivos ou supersensíveis na membrana nasal que se contraem ou dilatam para regular o fluxo mucoso e a congestão. A reação se dá a estímulos como clima, temperatura, pressão barométrica, irritantes químicos, estresse fisiológico ou emocional, medicamentos, álcool e até alimentos apimentados. É mais comum em mulheres do que em homens, o que sugere que ocorra influência hormonal.

Prevenção

A melhor forma de tratar a rinite, principalmente a alérgica, é a prevenção, com a diminuição dos agentes que causam a alergia:

  • retire tudo o que possa juntar poeira em sua casa;
  • evite tapetes, carpetes, cortinas grossas;
  • os pisos devem ser lisos, pois são mais fáceis de limpar e não abrigam ácaros;
  • passe sempre um pano úmido sobre os móveis e no chão;
  • deixe os ambientes abertos para ficar arejado e entrar sol;
  • evite agentes e substâncias irritantes.

A rinite vasomotora também pode ser controlada evitando os fatores irritantes, mas mudança no clima, por exemplo, é algo incontrolável.

Tratamento

Se, mesmo com todos os cuidados, os sintomas permanecerem, procure um especialista, o otorrinolaringologista, para que ele faça a orientação adequada, inclusive com medicamentos, se for o caso.

Fonte:

https://www.otorrino.pro

Menu